Pesquisar este blog

Carregando...
Contador de visitas

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Reconstrução do templo - retomando o ministério.




Ciro, rei da Pérsia, havia permitido que 50.000 judeus exilados voltassem a Jerusalém sob a liderança do governador Zorobabel e do sumo sacerdote Josué. Durante o segundo ano do seu retorno, foram lançados os alicerces do templo. A oposição dos samaritanos, porém fez cessar a obra e consequentemente os judeus se tornaram espiritualmente inoperantes, desanimaram e desistiram de reconstruir o templo do Senhor.

Dezesseis anos se passaram desde que eles abandonaram a obra, e quando questionados a respeito, diziam “não é chegado o tempo de reconstruir o templo” e assim iam adiando cada dia mais o ministério que o Senhor os havia entregado, enquanto negligenciavam a chamada de Deus, as portas da prosperidade se fechavam e eles iam empobrecendo em todos os sentidos, até que um dia se levante o profeta Ageu para exortar o povo á retomar a reconstrução para que assim a benção do Senhor voltasse sobre a terra.


Ageu incitou o povo a romper com o comodismo, reconhecer o reino de Deus em primeiro plano e subir ao monte para buscar os recursos necessários para construção do novo templo, então eles aceitaram e receberam ânimo do Senhor para retomar o trabalho.


O templo inacabado representa a Igreja de Cristo, os trabalhadores negligentes são muitos crentes que se preocupam tanto com sua vida pessoal que acabam adiando interminavelmente a chamada de Deus, e não vêem que por causa disso as coisas se complicam cada vez mais.


O único modo de reverter esse caminho de fracasso é colocar a si mesmo em segundo plano diante da enorme tarefa de edificar a Igreja, uma igreja que se constrói através de almas salvas das garras de satanás, almas essas que só podem ser conquistadas com as ferramentas adquiridas no monte da oração.


A Igreja hoje não pode parar por causa da oposição, começar é até fácil, mas continuar mesmo com as investidas do adversário é para os que conhecem e confiam no Deus que os chamou.


A Igreja cresce através de missões, muitas são as dificuldades do missionário, mas Deus não tem prazer em quem começa e para (Hebreus 10.38), por isso vá até o fim, porque na linha de chegada uma medalha te espera. Paz e graça.

Essa canção do ministério AG2 é linda, vale a pena ouvir. :)

sexta-feira, 20 de julho de 2012

O preço do milagre.


Jesus estava a caminho da casa de Jairo, para curar sua filha que jazia doente. Grande multidão o acompanhava e apertava, afinal Jesus era uma celebridade e muitos queriam ver o que faria a seguir, eram curiosos, ociosos, espiões ou doentes que esperavam uma chance para ficar cara a cara com o mestre, e expor seus problemas. 


Em meio à multidão havia uma mulher que á 12 anos sofria de um fluxo de sangue, que era um tipo de hemorragia devido a uma menstruação anormal, de acordo com Levitico 15.25-27 essa mulher não devia estar em meio ao povo, pois era considerada impura, ela não era digna da companhia do esposo ou dos filhos, era rejeitada pela sociedade como se fosse criminosa, e o pior de tudo é que não havia cura para sua enfermidade, durante 12 anos ela gastou todo o seu dinheiro com médicos que não conseguiram sequer melhorar sua saúde, em fim, ela era uma mulher irrecuperável.
 

Um dia ela, a qual a Bíblia não dá nome, ouve falar do nome de Jesus, seus milagres e curas sobrenaturais, mas como falar com ele? Estava sempre cercado de pessoas, as quais ela queria evitar, ele tinha sempre um caso urgente pra resolver, sua agenda estava sempre lotada de compromissos e seus discípulos eram aprendizes medrosos, então ela imagina as possibilidades, e vê que não tem como ir pela frente, então resolve ir pela retaguarda, seu alvo era a orla do manto, a barra da capa de Jesus!

Então lá vai ela, fraquinha, porém determinada a tocá-lo, quebrando os paradigmas da religião, desafiando os preconceitos da sociedade, superando sua fragilidade de mulher doente, quem sabe sentindo dor, mas ela consegue tocar o manto, e imediatamente é curada, 12 anos de aflição tiveram fim em um toque! 12 anos afastada da família, 12 anos de traumas e feridas emocionais foram saradas pelo toque no manto, mas a historia não acaba por aqui, Jesus parou e perguntou “Quem foi que me tocou?” a multidão ficou perplexa, e Pedro questionou dizendo “muitas pessoas apertam o Senhor”, porém Jesus replicou que através de um toque, dele havia saído poder, então a mulher se pronunciou vendo que não podia se esconder, e diante de todos testemunhou, aí Jesus disse a ela ”você sarou porque teve fé! Vá em paz” já fazia muito tempo que essa mulher não sabia o que era andar em paz, sem culpa, sem medo, e sem vergonha de si mesma. 

O preço do milagre pode não custar dinheiro, mas vai custar a nossa fé em desafiar a multidão e tocar no coração de Jesus com a oração de quem tem como prioridade receber uma resposta de Deus. Paz e graça.

sábado, 7 de julho de 2012

A grandeza do perdão de Deus.



A apregoar o ano aceitável do SENHOR e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os tristes;
A ordenar acerca dos tristes de Sião que se lhes dê glória em vez de cinza, óleo de gozo em vez de tristeza, vestes de louvor em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem árvores de justiça, plantações do SENHOR, para que ele seja glorificado.
Isaías 61:2-3

Isaias fala profeticamente em nome do messias que havia de vir a Israel, e ele deixa claro a missão desse enviado de Deus, que viria para anunciar salvação e perdão a todas as pessoas, porque todos grandes e pequenos, ricos e pobres estavam endividadas com o pecado e por isso eram escravos de Satanás. Jesus veio como representante máximo das forças armadas de Deus, empenhado em uma missão de resgate, e o preço desse resgate seria o seu próprio sangue! Porém o grande desafio é convencer os cativos que eles estão presos e condenados a morte, que somente através de Jesus eles serão livres do mal, mas isso é trabalho do Espírito Santo, é ele que através da pregação do evangelho convence e conscientiza o pecador que a sua alma carece de salvação.

Quanto mais forte é a convicção de pecado e perdão, maior é a gratidão do pecador por estar sendo salvo do inferno, e essa gratidão se revela através de uma mudança radical de comportamento, aquele que antes pecava deliberadamente, agora se envergonha de suas praticas e busca diligentemente obedecer a Deus.


Jesus estava na casa de um fariseu, quando de repente chega uma mulher, provavelmente uma prostituta, e ela se lança aos pés de Jesus, ela molhava os pés dele com suas lagrimas e enxugava com seus próprios cabelos, também derramava aos pés de Jesus um perfume caríssimo que havia trazido em um vaso de alabastro, mas porque ela fez isso? Precisava tanto? Na verdade só ela sabia o tamanho do perdão que precisava, ela estava convicta que seus pecados eram grandes demais, que seu fardo era demasiadamente pesado e que sua maneira de viver irritava a Deus, por isso que sentindo remorso por sua culpa, não viu alternativa a não ser se humilhar aos pés do salvador e derramar diante dele o que de mais caro ela tinha.


A Bíblia diz que todos pecaram, e assim estão separados de Deus, porque ele é santo. Não importa se a culpa é grande ou pequena, a verdade é que ninguém pode pagar a Deus o preço justo para limpar sua ficha, por esse motiva Jesus morreu no lugar do homem para dar ao homem o direito ao perdão de Deus, e só quem sabe a grandeza do perdão que recebeu oferta em louvor todo o seu tesouro e derrama sua alma para agradecer o amor do grande Deus.

"Quanto maior o pecado, maior o perdão de Cristo, perdão que se mostra na proporção do arrependimento do pecador" J.c


sexta-feira, 6 de julho de 2012

Eu, um holocausto vivo.


Em romanos 12.1, Paulo faz uma alusão á lei da oferta queimada (Levitico 6.8-12), que tinha vigor no velho testamento, onde um animal devia ser queimado no altar como sacrifício a Deus, Paulo aplica essa referência á Igreja e diz que a oferta hoje não é um animal, e sim nós mesmos.
O cristão precisa se dedicar completamente a Jesus, e consagrar todo o seu ser a ele, rendendo-se em submissão a Cristo através da palavra de Deus. O interessante é que antes do animal ser sacrificado, ele precisava ser avaliado, e se fosse reprovado, não poderia ser ofertado, entre outras condições ele precisava ser imaculado, isto é, sem defeito, o que significa a santidade na vida do crente, em segundo lugar era necessário matar o animal antes de ofertá-lo, ou seja, pra subir no altar de Deus tem que morrer, isso é a morte do orgulho e da incredulidade. O holocausto devia queimar até virar cinza, não poderia existir holocausto meio queimado, tinha que arder completamente até tudo se consumir, isso é o trabalhar de Deus na vida do cristão, enquanto houver carne em nós, precisaremos ficar no altar, e isso é um processo que dura à vida inteira. Depois de consumido o holocausto, restavam as cinzas, que deveriam ser lançadas fora para que assim viesse mais um sacrifício de adoração, se as cinzas permanecessem lá, a próxima oferta não poderia queimar, enquanto cinzas ocuparem o nosso coração, não poderemos adorar a Deus, cinzas essas que simbolizam magoas passadas, porém ainda recordadas e vividas como se fossem parte do agora.
O ciclo do holocausto se repete em nossas vidas diariamente, o cristão precisa se oferecer todos os dias, santificar-se todos os dias, morrer todos os dias, queimar-se completamente todos os dias, tirar as cinzas todos os dias, e recomeçar todos os dias!

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Confiança, Gratidão e paz.

Confiança é assumir a responsabilidade sem se deixar abater pela expectativa da dificuldade, Gratidão é a capacidade de dizer "obrigado, meu Deus" mesmo faltando algo, e Paz é a segurança em meio aos conflitos, não a ausência de conflitos e sim estar firme diante deles. É sobre isso que falo na mais nova áudio mensagem que gravei nos estúdios da Radio Pacatuba no sábado passado, é apenas um trecho, mas tenho certeza que você será muito abençoado.